Softys compra uma segunda máquina para fabricar máscaras protetoras.


COMUNICADO DE IMPRENSA

 

FARÁ DISTRIBUIÇÃO GRATUITA NO ATUAL CONTEXTO

SOFTYS COMPRA SEGUNDA MAQUINA NO BRASIL E PRODUZIRÁ

  14 MILHÕES MENSAIS DE MÁSCARAS PROTETORAS

 

  • A companhia recentemente informou o início da fabricação de máscaras de proteção em sua central de Caieiras, em São Paulo. Hoje anunciou a compra de uma segunda máquina que aumentará em mais de oito vezes o nível da produção de máscaras de proteção.
  • Este fim de semana chegou a São Paulo a primeira máquina, que tem capacidade de produzir 1,5 milhão de máscaras por mês. Espera-se que para o final de abril ou princípios de maio comece a entrega gratuita de máscaras aos serviços públicos de saúde.
  • A segunda máquina terá uma capacidade de produção de 12,5 milhões de unidades por mês e começará suas operações em 120 dias.
  • A companhia destacou a colaboração que vem recebendo de muitos de seus fornecedores, que tem oferecido apoio sem custos ao projeto ou insumos para o processo de instalação e fabricação.

 

São Paulo, Brasil, 14 de abril de 2020. A SOFTYS – filial de produtos de higiene e cuidado pessoal das Empresas CMPC, que fabricam e comercializam marcas como Elite, Kitchen, Babysec entre outras – informou a compra de uma segunda máquina para a fabricação de máscaras descartáveis para o Brasil, com isso o projeto terá uma capacidade de fabricação mensal de 14 milhões de máscaras do tipo cirúrgica. A companhia, recentemente, deu a conhecer o início da fabricação de máscaras de proteção em sua central de Caieiras, em São Paulo, com a compra de uma primeira máquina. Hoje reforçou sua decisão com a instalação de uma segunda linha de fabricação que permitirá aumentar em mais de oito vezes o nível de produção de máscaras de proteção da SOFTYS no país.

 

A companhia busca com este investimento garantir um abastecimento local, necessário, seguro e de qualidade, que colabore na tarefa de reduzir os riscos de contágio de doenças, razão pela qual decidiu fazer uma distribuição gratuita destes insumos de proteção no atual contexto.

 

“Como já indicamos, não estamos enfrentando este desafio como um negócio, mas sim como a resposta esperada de uma companhia orientada ao cuidado das pessoas, assim como fazemos com nossos produtos de higiene e cuidado pessoal”, apontou Luis Delfim, Diretor Geral da SOFTYS Brasil. “Portanto, nossa intenção, no atual contexto, é distribuir uma parte destas máscaras de maneira totalmente gratuita, como uma forma de contribuir para evitar o contágio da pandemia”, acrescentou.

 

A primeira máquina atinge uma produção de 1,5 milhão de máscaras por mês e, para encurtar os prazos de instalação, será transportada via aérea ao país, esperando-se que se encontrem produzindo dentro de 20 a 30 dias. A segunda máquina, com capacidade muito maior de produção, de 12,5 milhões de unidades por mês, começará suas operações em 120 dias.

 

A SOFTYS reservará uma quantidade de máscaras necessária para o uso e cuidado dos seus próprios colaboradores, que vem sendo chave para manter o compromisso da companhia com seus consumidores e clientes com o abastecimento normal de seus produtos, que são ainda mais de consumo essencial nestes tempos.

 

Cada máscara cumpre com os máximos padrões internacionais e está composta por 5 materiais:

  • Capa externa de Non Woven tipo Spunbond
  • Capa intermediária (filtrante) de Non Woven tipo Meltblown
  • Capa interna de Non Woven tipo Spunbond
  • Barra nasal, tira de ajuste: metal coberto com plástico
  • Material elástico de fixação

 

O processo é completamente automatizado, o que garante alta exigência sanitária por não existir intervenção humana durante o processo de fabricação.

 

“Estamos convencidos que a produção local de máscaras propiciará muita tranquilidade nesses tempos em que a dependência externa destes produtos se torna complexa devido à alta demanda mundial”, pontuou Luis Delfim.

 

Apoio de fornecedores

O diretivo agradeceu especialmente a colaboração sem custos para o projeto, que começou a receber de muitos dos seus fornecedores, como serviços ou insumos para o empacotamento das máscaras, entre outros. “Este contexto nos confirma que a colaboração e a solidariedade são chave para um desenvolvimento sustentável dos negócios e hoje ainda mais, já que entendemos que somente unidos e com a ajuda de todos poderemos superar esta crise sem precedentes pela qual estamos passando. Por isso, hoje faz tanto sentido nosso propósito de nos cuidar, entre empregados, clientes, fornecedores, comunidades próximas. Precisamos trabalhar juntos por um futuro melhor”, concluiu Luis Delfim.

A companhia quis ressaltar os múltiplos oferecimentos de suporte gratuito que tem recebido como apoio para a fabricação das máscaras, destacando-se entre eles, os da Pöyry Tecnologia Ltda. (projeto de engenharia), Ernst Young Assessoria Empresarial Ltda. (suporte metodológico), Lord Brasil Embalagens Plásticas Ltda. (bolsas de embalagem), Fábrica de Papel e Papelão Nossa Senhora da Penha S.A. (caixas de embalagem) e Paulino Pinto de Moraes (etiquetas), entre outros.

 

 

Sobre a Softys

A SOFTYS é a filial de Empresas CMPC, especializada na produção e comercialização de produtos de higiene e cuidado pessoal, como papel higiénico, guardanapos, papel toalha, lenços, fraldas infantis, produtos de incontinência de adulto e produtos de proteção feminina. Além disso, já é um importante fornecedor de alguns destes produtos para hospitais, clínicas e outros centros de atenção à saúde.

Além do mais, no Brasil, adquiriu há poucos meses a empresa SEPAC, consolidando-se dessa forma como a empresa Líder no mercado de produtos Tissue.

A Softys é líder na América Latina, chegando a mais de 500 milhões de consumidores, com operações em 8 países: Brasil, Chile, Argentina, Colômbia, Peru, Equador, México e Uruguai. E com suas marcas Elite, Babysec, Ladysoft, Cotidian, Duetto, Sublime, Kitchen, Nova, Premier, Sussex, Elite Professional, OK Pet, entre outras, contribui com soluções inovadoras e sustentáveis para a higiene e bem-estar das pessoas da região.